Presente de Sérgio Ricardo

O VOO DA ATRIZ

Simplesmente Glauce
Porta-voz da poesia e do teatro
Pombo-correio de mestres
Deposita nas mentes
De cada um as sementes
Do amor mais transparente
Que forja com seu talento
A varrer do entendimento
Obscuras conclusões
Que se diluem ante as inflexões
De sua bela performance

Profissão?
Missão?
Prazer?
Desprendimento?
Guerreira?
Simplesmente Glauce
Incrivelmente Glauce.
Não importa se de Minas
Ou se veio da China
Se te ama ou te abomina
Sei que tem asas e voa
Hora pousando em mansão
Ou só parando na esquina
Onde a platéia se aquieta
Para assistir Glauce Guima

S. R.
29 julho 2017

Foto: Cafi

Mestre que quase me mata do coração, obrigada, vosso poema me inspira, não mereço mas careço, fico feliz pelos poemas e o papo agudo da noite de sábado terem vos balançado as entranhas, na falta das instituições temos nossos corpos e vozes, os bailes da vida – todo artista tem de ir aonde o povo está, e ir também aos burgueses, eles mandam, fazem leis e decretos, o século xxi é o séc do sentimento e da inteligência, amo-vos do fundo do meu coração, e estais em meu projeto futuro – o harém da glauce – construção do asilo com 17 quartos na casa principal para os alfa, chalés espalhados para as beta.
Vossa,
G.